Hippie – Resenha

Livros, Reflexões
05/09/2018


Terminei de ler Hippie, já faz algumas semanas, e como alguns livros de Paulo Coelho, este levou algum tempo para ser digerido e começar o efeito catarse.

Hippie é um livro autobiográfico, um recorte de uma parte da vida de Paulo, sua fase Hippie, mais especificamente o ano em que ele estava em Amsterdã e embarcou no Magic Bus, rumo a Kathmandu. A história é sobre esta viagem, sobre os encontros que ele teve no caminho e sobre transformações. O livro também nos situa historicamente, nos coloca em meio a uma ditatura e seu horror, ele conta em detalhes experiências de tortura, e de lá nos leva para o encanto dos Hippies e sua busca por uma vida mais leve e livre.

Lendo daqui deste tempo e espaço eu consigo traçar um paralelo, enquanto uma onda de ódio e fundamentalismo se levanta e todos parecem ter enlouquecido (de forma negativa), eu embarco no Magic Bus, em busca de alguma resposta. Lembro que Paulo Coelho, em entrevista ao jornalista Pedro Bial disse: “eu escrevi (Hippie) para acabar com essa polarização que a gente vive hoje”, e então animada eu sentei no banco ao lado de Paulo e Karla.

Eu adoraria dizer mais sobre esta viagem, mas isso incluiria ter que revelar muitos spoilers. O que eu posso dizer, sem estragar a experiência de leitura de ninguém, é que a viagem valeu a pena, e encontrei o que fui buscar.

Com Hippie na minha cabeça, penso que em tempos de trevas devemos olhar para dentro, para nosso eu interior, que devemos “partir” (simbolicamente) em busca do nosso despertar, em busca do que realmente importa, fazer o nosso Trabalho, o que deve ser feito sem se deixar seduzir pelo ódio voraz, pelo medo ou pelas portas dos paraísos solitários, é preciso procurar o amor e deixá-lo fluir dentro de nós, até que a gente se confunda com ele próprio. O amor não tem polaridade.
Quando alguém se desperta para o Amor, se torna uma espécie de “Pedra Filosofal”, que desperta o Amor nos outros ao redor, transforma chumbo em ouro. Este é o caminho.

“As pessoas escutam apenas aquilo que querem, jamais tente convencer ninguém, siga apenas o seu destino sem medo – ou até mesmo com medo, mas siga o seu destino.” – Hippie.

Não é raro reler um livro de Paulo Coelho e enxergar outras dimensões no texto, chegar em outras conclusões. Então caso esta não tenha sido a sua reflexão e queira compartilhar comigo qual foi, eu ficarei muito feliz em saber.

Gostaria de fechar este texto com uma frase do poeta Rumi, que me parece muito oportuna:

“A ferida é o lugar por onde a luz entra em você.” – Rumi

Gratidão.

 

Compartilhar

Moodboard – Quero Ser Uma Youtuber

Criatividade, Dicas para autores, Quero Ser Uma Youtuber, Reflexões
02/09/2018

Você sabe o que é um Moodboard? Moodboard é um painel com referências para representar visualmente um projeto, é também conhecido como painel semântico, ou seja, é um painel que tem o objetivo de ajudar na tradução da essência de um projeto, serviço, marca, produto etc.

É muito usado no ramo da moda, da decoração (de casas e de festas) e também nos trabalhos de gestão de marca, o branding. Também é uma ferramenta muito útil para escritores e roteiristas, que encontram no moodboard uma forma de enxergarem melhor a essência de seus personagens e de sua história.

Resolvi começar a utilizar esta técnica nos meus próximos livros e para treinar um pouco, criei moodboards dos personagens do Quero Ser Uma Youtuber. Veja só como ficou:

 

Gostei bastante da experiência, é como se eu pudesse sentir “a vibe” dessas pessoas para entendê-las melhor. Fico pensando agora em como seria criar moodboards para nós mesmos, com o objetivo de trabalhar nosso autoconhecimento, mas isso é assunto para outro post rs.

Gostaram?

Dica: o Pinterest é uma ótima plataforma para criação de Moodboards.

 

Compartilhar

Viva Este Livro no ICLOC

Eventos, Viva Este Livro
01/09/2018

O ICLOC é um espaço aberto para debates sobre práticas e metodologias educacionais com o objetivo de contribuir para o aprimoramento do ensino no Brasil. É um evento que acontece todos os anos em diversas cidades. E neste ano, em São Paulo, tive a oportunidade de me juntar com educadores, pesquisadores e autores, para apresentar o Viva Este Livro, como ferramenta de trabalho na educação socioemocional dos alunos.

Junto comigo, a professora Juliana Todeschi apresentou suas experiências com o Programa Semente (para saber mais sobre o programa clique aqui), e tivemos a oportunidade de compartilhar com outros educadores nossas reflexões e estudos numa roda de conversa muito enriquecedora.

Eu acredito no poder transformador do conhecimento, da arte, da educação e do aprendizado socioemocional, me juntar com outras centenas de pessoas que acreditam neste mesmo caminho só fortalece nossos objetivos.

Para conhecer todos os projetos apresentados na décima edição, clique aqui, e faça o download da publicação “ICLOC 1111 projetos para contribuir com seu trabalho.”
 

 

 

O Instituto Cultural Lourenço Castanho – ICLOC – é uma associação sem fins lucrativos que tem por objetivo contribuir para o desenvolvimento e o aperfeiçoamento da educação brasileira. Fundado em 2009 pelas sócias da Escola Lourenço Castanho Jeannette Alicke De Vivo, Marilia de Azevedo Noronha, Maria de Lourdes Pereira Marinho Aidar e Sylvia Figueiredo Gouvêa, o novo Instituto se propõe a concretizar um sonho dos seus fundadores, que acumularam em mais de 4 décadas uma significativa bagagem em educação.

Compartilhar
Página 1 de 612345...Última »