O que você vai aprontar no pedacinho que lhe couber?

Cultura, Reflexões
06/10/2017


Hoje o Facebook me lembrou que algum tempo atrás eu assisti uma das peças teatrais que mais me impactou positivamente e de alguma forma me transformou, me deu aquele chacoalhão. Galileu Galilei de Brecht. Procurei na internet o texto final da peça e achei! Quero compartilhar com vocês:
———
A pratica da ciência exige coragem, ela negocia com o saber conquistado pela dúvida, como artista eu tive uma oportunidade única, eu vi a astronomia alcançar as praças do mercado a nossa nova arte da dúvida encantou o grande público que arrancou o telescópio das nossas mãos para apontar para seus carrascos, entretanto esses homens poderosos nos cobriram de ameaças e ofertas de suborno, irresistíveis para as almas fracas.

Nessa hora a firmeza de um homem poderia ter causado grandes abalos. Seremos ainda cientistas se nos deligamos da multidão? Vocês trabalham para que?

Eu acredito que a única finalidade da ciência está em aliviar a canseira da existência humana e se os cientistas intimidados pela prepotência dos poderosos acham que basta amontoar saber por amor ao saber, a ciência pode ser transformada em um monstro e nossas novas máquinas serão novas aflições, nada mais.
Bertolt Brecht (Galileu Galilei)

———-
Mude Ciência/ Cientista para arte/ artista, mude para os que já foram perseguidos, mude para místicos, filósofos. O alvo muda, o objetivo tenebroso mantém-se o mesmo.

Galileu Galilei em seus últimos dias encarcerado dentro de sua casa, cumprindo pena, era vigiado constantemente, proibido de escrever qualquer coisa considerada heresia. Mas a noite em seu quarto escuro, iluminado apenas pelos restos de luz da lua das noites claras ele terminou a sua obra.

 

Compartilhar